Cruzada moral da extrema-direita russa mira álcool, judeus e imigrantes

26 ago

“Queremos eliminar todos os elementos antissociais”, disse grupo. “Beijaço” no Brasil irá repudiar leis recentes

A popularização do discurso da extrema-direita na Rússia vem sendo apoiada por uma cruzada moral que critica e denuncia grupos classificados como “responsáveis pela degradação moral” do país. Além dos “homossexuais e pedófilos” (sic), os ataques se estendem também a judeus e a muçulmanos do norte do Cáucaso e da Ásia Central.

“Queremos eliminar todos os elementos antissociais, digamos assim”, explicou ao Opera Mundi um membro do Occupy Pedofilia que se identificou como Max Speedway.  O grupo, inspirado às avessas no Occupy Wall Street, se autodefine como movimento social e é hoje o grupo nacionalista mais popular na Rússia, com grande presença nas redes sociais. Fotos de Hitler e ataques a judeus são comuns na página administrada na rede social russa Vkontakte.

Reprodução

Saudação nazista em frente a uma sinagoga na Rússia, país que concentra uma ampla comunidade de origem judaica

Os jovens membros, quase todos entre 15 e 25 anos, não parecem se envergonhar da controversa – para ser suave – extrema-direita russa: “Eu me simpatizo com o neonazismo, com a defesa que eles fazem da pátria e dos valores”, explica Davi “Winchester”, sem esconder seu rosto nas redes sociais.

“Eles não devem conhecer a nossa história. Como pode existir um nacionalista russo nazista? Se a pessoa é nacionalista russa, ela não pode ser nazista porque foi a Rússia que derrotou Hitler na Grande Guerra Patriótica (termo que os russos usam para a segunda parte da II Guerra Mundial). Ele são muito novos. A minha geração sabe o que foi a guerra”, conta Vera (nome fictício), de 28 anos.

Reprodução
Os imigrantes são também vítimas rotineiras dos grupos neonazistas. Um dos grupos associados ao Occupy Pedofilia, RosPriton, incentiva os russos a denunciar “vizinhos ilegais indesejados”.

[Tesak, líder do Occupy Pedofilia, em praça de Kiev]

O grupo recebe a “denúncia” e vai ao edifício onde residem imigrantes sem permissão de residência, chamam a polícia e colocam os estrangeiros em situações vexatórias.

O consumo de álcool e drogas também é criticado pela maioria dos integrantes, completando a cruzada moral russa.

“Está cientificamente provado que a sobriedade é o estado natural do homem. O álcool age rapidamente paralisando a ação neuromuscular. Álcool em sua forma pura não existe na natureza, só industrialmente”, teoriza Anton Prokofiev, um membro do grupo.

O movimento Occupy Pedofilia conta também com uma organizada rede financeira. Além do dinheiro dos “safáris” (caça aos homossexuais, que custa R$ 18 por pessoa a cada saída), o grupo vende camisetas (R$ 87), canecas (R$ 36), coleções de facas, anabolizantes e faz divulgação de lojas e diversos tipos de serviços. A página do Occupy Pedofilia já conta com quase 80 mil seguidores na rede social russa e uma página associada (Tesak contra Pedofilia) possui 163 mil membros. Tesak é o líder do grupo e sua popularidade é tamanha que há inclusive uma comunidade que pede “Tesak para presidente”.

E como se a ideologia nacionalista não fosse suficiente para atrair os jovens russos, o Occupy Pedofilia ataca também na área financeira. No cabeçalho da página do movimento, oferece-se assistência para a obtenção de empréstimos entre 40 mil rublos (R$ 3 mil) e 5 milhões de rublos (R$ 360 mil). Basta ter mais de 18 anos, ser cidadão russo e residir em Moscou ou em São Petersburgo. Na página do movimento, há também postagens com convites para participação em pirâmides financeiras, proíbidas na Rússia.

Reprodução

Occupy Pedofilia oferece empréstimo de até R$ 360 mil para jovens a partir dos 18 anos

“Tesak é nosso líder, nosso guia moral, um exemplo que precisamos para a nossa juventude. Temos que fazer com que as novas gerações não bebam, pratiquem esportes e estejam no caminho certo. Deus recompensará. Nós, russos, somos ortodoxos e não queremos a tolerância do Ocidente”, relata Pavel Kondaurov, um dos participantes do movimento.

O Occupy Pedofilia já conta oficialmente com representantes em pelo menos 30 grandes cidades russas e em Kiev, capital da Ucrânia. “Nosso projeto social está crescendo muito nos últimos meses. Isso é um bom sinal”, declara Anzhey Kmitits, um dos braços direitos de Tesak.

Brasil

Através da sua página no Facebook, a Embaixada da Rússia no Brasil emitiu um comunicado tentando acalmar as críticas e a preocupação dos brasileiros sobre a situação com a comunidade LGBT na Rússia. “Discriminação de qualquer gênero é proibida na Rússia a nível constitucional de acordo com os compromissos assumidos no âmbito da ONU e disposições correspondentes da Convenção Europeia dos Direitos Humanos”, publicou a Embaixada da Rússia.

E continuou: “A lei referida proíbe somente impor atitudes sexuais não-tradicionais aos menores de idade. Isso não contradiz à Constituição russa (…) A legislação russa obriga os órgãos públicos proteger crianças de informação que possa prejudicar a saúde delas, bem como desenvolvimento espiritual”. Segundo a Embaixada russa no Brasil, as “informações sobre uma ‘campanha da violência de grande escala’ em relação às pessoas da orientação sexual nãotradicional (…) não correspondem à realidade”.

No Brasil, foi convocado para a próxima sexta-feira (23) um ato de repúdio às recentes leis aprovadas na Rússia. O “beijaço” ocorrerá em frente ao Consulado da Rússia em Brasília, São Paulo e no Rio de Janeiro, de 11h a 13h. No dia 8 de setembro, será a vez de outros inúmeras cidades do mundo se unirem em solidariedade à comunidade LGBT russa, também em frente às respectivas representações diplomáticas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: