José Dirceu: “Quando acabar o julgamento vou recorrer à OEA”

6 set

(Foto: Getty Images)

POR BOB FERNANDES
 
Casaco preto de couro, estrela do PT na lapela, camisa branca e calça jeans, José Dirceu conversa no 3º andar do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Dez da noite desta quinta-feira (5), Dirceu acaba de visitar o ex-ministro Luiz Gushiken, como ele um dos fundadores do PT. Visita com ares de despedida do amigo que enfrenta um câncer há mais de uma década. Assunto inevitável, o julgamento da ação penal 470, o chamado “mensalão”, que está chegando ao fim. José Dirceu informa:
 
– Quando acabar o julgamento, uma semana depois de transitado em julgado, vou recorrer à OEA (Organização dos Estados Americanos).
 
Dirceu diz que recorrerá à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA. Com base no Pacto de San José da Costa Rica, que trata de garantias judiciais, direitos humanos, e tem o Brasil como um dos signatários desde 1969.
 
– Eu vou recorrer, nós, outros também irão recorrer, porque estão condenando sem provas, forçando a mão…
 
Trama do destino, a quinta-feira (5) foi um dia de encontro de petistas no hospital Sírio-Libanês. Lá também está internado o governador de Sergipe, Marcelo Deda, e José Genoíno foi visitar Gushiken a chamado do amigo.  
 
Ao longo do dia, como antecipou Terra Magazine, José Dirceu recebeu meia centena de amigos no salão de festas do prédio onde mora, na Vila Mariana. Num telão assistiram à sessão do Supremo Tribunal Federal que poderia por fim ao julgamento.
 
Entre os amigos, o escritor Fernando Morais, o cineasta Bruno Barreto, o presidente da CUT, Vagner Freitas, e o ex-prefeito de Osasco, Emidio de Souza.
 
Presentes três das suas quatro ex-mulheres, Angela Saragoça, Marcia Ramos e Evanise Santos. Clara ligou de Cruzeiro do Oeste (PR).
 
Suspensa no final da tarde a sessão na qual se discutia os chamados embargos infringentes, a decisão deve começar a ser tomada na terça-feira, 10.
 
Dez e quarenta da noite. José Dirceu diz:
 
– Vou recorrer a OEA e vou ganhar, esse julgamento tem coisas absurdas…
 
O ex-presidente do PT e ex-ministro da Casa Civil no primeiro governo Lula troca cumprimentos com o cardiologista Roberto Kalil Filho, se despede de amigos e entra no elevador.
 
O longo e tenso dia vai chegando ao fim. José Dirceu vai para casa, assistir Jack Brown, de Quentin Tarantino.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: