Eduardo Motta or Ed Mott !!! Give me a break man

10 abr

Ed Mott no piano

Quando em 1962 Tom Jobim ,João Gilberto,Agostinho dos Santos,Luis Bonfá,Carlos Lyra,Roberto Menescal,Sergio Mendes,Sergio Ricardo e outros aterrizaram em Nova York, foram recebidos no aeroporto, por uma lenda viva do jazz norte americano , o saxofonista Cannonball Ardeley que foi do sexteto de Miles Davis.

Era para fazer o show no “Carnagie Hall” que estava lotado, com muita celebridade na platéia como os músicos Miles Davis, Herbie Hancock e Gerry Mulligan; os cantores Tony Bennett e Peggy Lee para ver e ouvir uma nova música que estava “pintando no pedaço” :. a bossa nova.

Segundo o grande radialista Walter Salles todas as televisões e radios do mundo estavam lá
para cobrir o evento que mesmo “desorganizado” foi o maior sucesso.

Tom Jobim, cantou “Samba de Uma Nota Só”; João Gilberto, cantou “Samba da Minha Terra”, seguindo-se “Corcovado” e “Desafinado”;Agostinho dos Santos, com Luiz Bonfá ao violão, foram ovacionados pelos nova-iorquinos cantando “Manhã de Carnaval”.

Atenção para o detalhe:. todas as canções foram cantadas em “português”, pois para se gostar de uma canção não precisamos entender a letra ou saber inglês,francês ou “grego”(sic), vide o exemplo musical dos Beatles em toda a parte do mundo.

Ou seja a “música brasileira” desde de Ary Barroso (Aquarela do Brasil),Carmem Miranda,Villa Lobos,Pixinguinha já fazia sucesso na terra do “Tio Sam”.

Em 1967 a bossa nova veio para cristalizar este sucesso, e chegou no seu auge, no show de Frank Sinatra e Tom Jobim transmitido “costa a costa” pela TV nos EUA.

Outro detalhe:. neste memorável e inesquecível show contava também com a “diva do jazz” Ella Fitzgerald e dois dos maiores arranjadores na cena jazzística que eram Nelson Ridle e o alemão Claus Ogerman.

Nossa, mas toda essa pompa conquistada por Tom Jobim foi o bastante para os “vira latas brasileiros”(principalmente os músicos) valorizarem a nossa música e nossa cultura?
A resposta é “não”.

Esse “viralatismo” ainda é predominante na elite brasileira, e segmentos da classe média conservadora no Brasil .

É a elite que vai passar suas férias e gastar seu dinheiro (que ela ganhou no Brasil) em Nova York,Paris,Miami(sic),Orlando etc..

O pior é o grande percentual de músicos brasileiros, que conhecendo ou não nossa música e nossa cultura,continuam “super valorizando” tudo o que vem dos EUA .(cinema,música,moda,shoppings etc..)

O axioma, dominação econômica pressupõe dominação cultural , cabe bem nesses exemplos.

Mesmo o Brasil nesses últimos 12 anos sendo reconhecido e conquistado o 7° lugar como potência econômica e ter avançado muito na area social, o viralatismo e a baixa auto estima dos “bens nascidos” continua arraigada.

O pior é ver essa tendência ao viralatismo na periferia de São Paulo, com a difusão do rap,rip hop e funk.

As roupas e os trejeitos são tudo americanizados.Só falta eles cantarem em inglês. .

Não me espanta o chilique do cantor Ed Motta que deveria se chamar de Edward Mott, ao dizer que seu show vai ser tudo em inglês( english please) ,justificando seu viralatismo e baixa auto estima que o “inglês é lingua universal”.

Edward Mott ou melhor Eduardo Motta ou (sic) Ed Motta é na verdade um tremendo viralata:. imita descaradamente seu ídolo Steve Wonder ,se veste como “american singer” e esconde ou esquece descaradamente a sua origem .

A doença do “Viralatismo” graças a Deus ,não é o caso de Luciana Souza, que aos 18 anos saiu do Brasil para viver nos Estados Unidos. Hoje, com 44, a cantora paulista, filha dos compositores Walter Santos e Tereza Souza, é nome respeitado no seleto meio jazzístico norte-americano, colecionando indicações ao Grammy.

O álbum “Tide” que lançou nos EUA em 2009 e que ganha agora uma edição brasileira, une temas de autoria da artista e recriações do repertório de João Gilberto. Tudo lapidado por um canto apontado como “perfeito” pela revista norte-americana  Billboard. 

Edward Mott ou “sorry” Eduardo Motta ou (sic) Ed Motta deveria se conscientizar políticamente , pois talento e diploma não trás conscientização política, mas muitas vezes esconde essa tremenda lacuna. No Brasil de hoje mesmo com gêneros musicais bastante popularizados como o sertanejo,axé,pagode,pop e outros, é onde reside o  público de Ed Motta e não o de Luciana Souza.

Ou seja o público que Ed Motta quer conquistar ,é o público de Luciana Souza, mais consciente e intelectualizado.

Basta sòmente ele respeitar o teu público, e não detoná-lo com expressões como “simplório, ou menos culto.

” Edward Mott” deveria não esquecer que são os incultos, que pagam o seu vinho francês e sua comida farta.

““Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor”.(PauloFreire)

Dom Rocha

( guitarrista,compositor, arranjador musical e blogueiro ) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: