Dinamarca é o paraíso terrestre ou algo muito próximo disso

19 nov

Turismo na Dinamarca 79

Por Luis Antonio Araújo-Central de Notícias do Facebook

Graças ao “Globo Repórter” desta sexta (18/11), descobri que a Dinamarca é o paraíso terrestre ou algo muito próximo disso.
“País da felicidade”, “terra onde as diferenças sociais são quase invisíveis”, “campeão da segurança, da igualdade, da simplicidade” – é difícil resistir a um lugar assim.
Fiquei esperando até o final do programa para saber qual é, afinal, a receita de sucesso dos dinamarqueses.
Apostei que seria algo entre o “frio escandinavo” e a ausência de “herança ibérica”. O “Globo Repórter” acabou silenciando sobre essa importante questão. Tomado de indômita curiosidade, fui buscar informações.

Aprendi o seguinte:

* a Dinamarca, assim como suas vizinhas Suécia, Noruega e Finlândia, adota desde os anos 1930 um sistema de seguridade social segundo o qual todos os cidadãos têm direitos iguais a serviços públicos como saúde, educação e previdência. Isso significa que, por princípio, qualquer indivíduo tem acesso franco e gratuito a esses benefícios ao longo da vida;

* para subsidiar esse sistema, a Dinamarca faz com que quem ganha mais pague mais impostos. Segundo a insuspeita Tax Foundation, a maior alíquota individual de imposto de renda em 2015, incluindo tributação na fonte, foi de 60% na Dinamarca, 57% na Suécia e 39% na Noruega. No Brasil, foi de 27,5%, ou menos da metade do nível dinamarquês, depois de ter sido de pelo menos 40% durante quatro décadas, até os anos 1990, como lembram os economistas Sergio Wulff Gobetti e Rodrigo Octávio Orair. Abaixo, uma tabela mostra a relação receita tributária/PIB em 25 países, com a Dinamarca no topo, com 49%;

* outro dado importante tem a ver com a concentração de renda. Na Dinamarca, os 0,05% mais ricos detêm 1,3% da renda nacional.
No Brasil, os mesmos 0,05% mais ricos abocanham 8,5% da renda. Nas palavras de Gobetti e Orair: “(…) são cerca de 71 mil pessoas que se apropriam de 8,5% de toda a renda. Este é um patamar que dificilmente encontrará outros paralelos no mundo” (GOBETTI; ORAIR. Progressividade tributária: a agenda negligenciada. In: http://www.ipea.gov.br/…/images/stories/PDFs/TDs/td_2190.pdf)

Ipea.Gov.br

* uma das entrevistadas do “Globo Repórter”, a cientista política Ulla Holm, diz que na Dinamarca “a corrupção quase não existe, e nós temos muito orgulho de sermos incorruptíveis (…) O fato de que nós confiamos no Estado é muito importante para nós”. Ou seja, o sistema funciona porque não há corrupção, certo? Errado. Entre 2012 e 2015, o governo dinamarquês estima que fraudes tributárias tenham subtraído US$ 1,85 bilhão (R$ 7,4 bilhões) do Tesouro.
Esse é praticamente o mesmo valor que a Receita Federal cobrava até janeiro deste ano das empreiteiras envolvidas na Lava-Jato. É preciso combater a corrupção, mas esse combate não pode servir para acobertar desmonte de direitos, como o fundamentalismo neoliberal tenta fazer crer no Brasil.

No GloboPlay, há uma entrevista com uma brasileira radicada em Copenhague que faz uma defesa bem informada e sóbria do Estado de bem-estar social (https://globoplay.globo.com/v/6297336/programa/). É pena que os editores do “Globo Repórter” não tenham achado necessário incluir a entrevista no programa que foi ao ar, relegando-a à página na web, à qual pelo menos 50% dos brasileiros não têm acesso.

Anúncios

Dinamarca- O sistema de saúde dinamarquês

18 nov

Copenhagen, Denmark

O sistema de saúde dinamarquês é essencialmente público e gratuito, e todo cidadão residente legalmente no país tem acesso a ele. Para isso, toda pessoa recebe um cartão chamado sundhedskort, que é o seu cartão de saúde onde constam o número do seu CPR (registro pessoal, número que equivale ao nosso CPF e RG no Brasil), seu nome completo e seu endereço; o grupo de saúde no qual você está registrado; o nome, endereço e telefone do seu médico de família; a data de início da validade do seu cartão e o telefone da prefeitura da cidade onde você mora. É obrigatório apresentar o cartão em cada visita ao médico, seja ao seu médico de família ou ao médico plantonista, bem como nas visitas ao dentista, quiroprata e para ser atendido no serviço de atendimento ao cidadão da prefeitura e na biblioteca municipal.

Há o sistema público, utilizado por toda a população, e um sistema privado, utilizado por uma parcela da população. O foco desse texto é o sistema público, cujo acesso é gratuito e garantido a todos os que vivem na Dinamarca legalmente.

sundhedskortet
Cartão de saúde regular. Foto: Min by Holstebro (Divulgação)

Como funciona esse sistema?

O sistema de saúde divide os cidadãos em 2 grupos e a pessoa pode escolher o grupo em que quer se enquadrar: grupo 1, onde o tratamento com o médico de família e especialistas (sob encaminhamento) é gratuito e outros serviços de saúde como dentista, podólogo, psicólogo e fisioterapeutas são subsidiados; e grupo 2, onde o cidadão paga um valor extra para o governo para ter a liberdade de ser atendido por qualquer médico e demais tratamentos de saúde são subsidiados como no grupo 1. A grande maioria da população está no grupo 1 e caso a pessoa não escolha um grupo, ela é automaticamente enquadrada como grupo 1.

Toda pessoa tem direito a escolher um médico de família que irá atendê-la – caso não escolha ou caso o médico não possa aceitá-la, a própria municipalidade designará um médico. Esse é normalmente um clínico geral e será responsável por avaliar você e sua saúde em todos os aspectos. Caso venha a precisar de um especialista em determinada área, é o seu médico quem vai fazer o encaminhamento, mas em geral é ele mesmo quem vai lhe tratar, independentemente do que você esteja sentindo. Para ser atendido é preciso agendar consulta com seu médico e sempre é necessário apresentar o cartão de saúde no dia da consulta. Exames básicos como exame de sangue e urina são geralmente feitos no próprio consultório médico, que normalmente conta com uma secretária, uma enfermeira, o seu médico, um médico residente e um psicólogo. Exames mais elaborados para diagnósticos de doenças mais graves só são solicitados em casos específicos, e normalmente são feitos em hospitais.

Para ser atendido você precisa telefonar para o consultório e agendar, ou acessar o sistema de atendimento online do consultório do seu médico, onde você pode fazer o agendamento através de um sistema pelo computador, direto da sua casa. Sendo cadastrado e acessando esse sistema se pode marcar consultas, fazer perguntas ao médico, ver resultados de exames e renovar prescrições de medicamentos. A primeira consulta é sempre agendada por telefone e você precisa solicitar o cadastro no sistema do consultório para poder ter acesso à plataforma online de agendamento de consultas e comunicação com o seu médico via e-mail.

Os consultórios médicos funcionam em horário comercial, geralmente das 8:00 às 16:00 e têm períodos de férias, além de estarem fechados nos feriados nacionais. Se a pessoa precisar de atendimento de emergência pode telefonar para o lægevagt, que nada mais é que o pronto-socorro em hospitais, ou em casos em que não haja um hospital ou ambulatório por perto e seja uma emergência de risco de morte, por exemplo, ela pode ligar para 112, o número de emergência na Dinamarca, e pedir ajuda. Antes de ir diretamente ao hospital ou ambulatório mais próximo é preciso telefonar para o lægevagt e descrever o que está sentindo, para receber instruções por telefone sobre o que fazer e se é realmente necessário se dirigir pessoalmente para uma consulta de emergência.

Os tratamentos dentários são gratuitos para crianças, adolescentes e jovens até 18 anos.

Medicamentos

Lyngby_Svane_Apotek_823728a-1024x683
Farmácia em Lyngby, Zelândia. Foto: Politiken (divulgação)

A compra de medicamentos é regulada pela agência de saúde do governo e a grande maioria dos medicamentos é vendida somente sob prescrição médica, incluindo pílulas anticoncepcionais, por aqui chamadas de P-piller. É possível, no entanto, comprar medicamentos como antitérmicos e analgésicos sem prescrição. Somente os medicamentos vendidos com receita são vendidos em drogarias (lojas físicas e online); demais medicamentos vendidos sem receita são vendidos em supermercados, lojas de conveniência etc.. Não há distribuição gratuita de remédios no país; portanto, se você precisar se tratar de uma doença crônica, por exemplo, terá que arcar com os custos do tratamento medicamentoso. Entretanto há a possibilidade de solicitar reembolso de parte do valor gasto com certos medicamentos – o valor do reembolso pode chegar até a 85% do valor gasto. É preciso, para isso, comprovar que o gasto anual com o tratamento supera o valor de 890 coroas dinamarquesas. As porcentagens dos valores de reembolso estão distribuídas assim: 50 %, para despesa compreendida entre 890 e 1.450 coroas; 75 %, para despesas entre 1.450 e 3.130 coroas;  e 85 % do total, se a despesa for acima de 3.130 coroas. Medicamentos reembolsáveis ministrados a crianças e jovens até 18 anos são reembolsados em no mínimo 60% do valor da despesa. As informações sobre reembolso de valores gastos com medicamentos podem ser lidas em inglês no site da Agência Dinamarquesa Para a Saúde e Medicamentos.

Uma dica importante para viajantes: se você toma remédios por conta de algum tratamento que faça no Brasil ou no exterior e vier para a Dinamarca, ainda que por um curto período, traga sempre as prescrições do seu médico junto com os remédios. Pode acontecer de você ser controlado na aduana e bloquearem a entrada dos seus remédios por falta de prescrição, ou por serem medicamentos cuja venda é proibida ou restrita no país. Evite trazer remédios controlados na bagagem de mão.

Atendimento a portadores de necessidades especiais

Pessoas que precisam de cuidado médico especializado por conta de uma necessidade especial contam com ajuda extra para serem cidadãos ativos na sociedade. Cada comuna possui um comitê composto por 7 conselheiros que ajudam os portadores de necessidades especiais de várias formas. Para mais informações a respeito consulte o site do serviço ao cidadão (somente em dinamarquês). Há outro site onde é possível ler a respeito dos direitos concedidos aos portadores de necessidades especiais no país – acesse através desse link (somente em dinamarquês).

Para quem já mora por aqui e quer entender melhor o sistema de saúde dinamarquês, aconselho consultar o site nacional de saúde da Dinamarca, com informações em dinamarquês a respeito do funcionamento do sistema, medicamentos, doenças etc. e onde também é possível consultar prontuários médicos pessoais emitidos por hospitais públicos, histórico de consultas médicas e tratamentos, prescrições de medicamentos e cuidados hospitalares, acessando com seu NemID pessoal; e também o site Just landed, se você acabou de chegar ao país ou pretende visitar a Dinamarca como turista. As informações noJust landed estão em inglês.

E para quem mora legalmente no país o sistema de saúde dinamarquês também conta com um serviço de ‘ombudsman’ para reclamações e questionamentos a respeito do atendimento efetuado por profissionais da saúde como médicos, enfermeiros, dentistas, nutricionistas, psicólogos, quiropratas e fisioterapeutas. No portal Patientombuddet é possível registrar a sua queixa em relação ao atendimento, diagnósticos, prescrição medicamentosa, problemas com o seu prontuário médico ou qualquer outro assunto relacionado ao atendimento pelos profissionais da saúde no país que tenha sido insatisfatório para você. As informações no portal estão disponíveis em dinamarquês, inglês e alemão.

Informações úteis

  • Se você estiver de férias na Dinamarca e adoecer gravemente ou sofrer um acidente, você tem direito a tratamento médico e hospitalar gratuito no país, mesmo sem ter o cartão de saúde daqui ou o cartão europeu azul.
  • Se mora na Dinamarca, guarde bem o seu cartão de saúde e lembre-se de sempre tê-lo na hora de ir ao médico. Sem ele você não é atendido nem pelo seu médico de família, nem pelo médico plantonista, bem como por nenhum outro profissional de saúde (dentista, quiroprata etc.).
  • A emissão do cartão de saúde é gratuita, porém se você o perder ou se decidir mudar de médico ou grupo, ou se danificar o cartão atual e ele tiver menos de 4 anos de emissão terá que solicitar uma segunda via; essa é paga e custa 190 coroas (valor 2015). A solicitação é feita no Borgerservice da sua comuna e o novo cartão chega, em média, em 2 semanas.
  • Caso receba cartas do governo convidando para exames preventivos e vacinas, sempre ligue ou escreva para se informar a respeito. Normalmente essas ‘ofertas’ são voluntárias, isto é, você só participa se quiser.
  • O atendimento médico aqui pode ser por vezes decepcionante em relação a diagnósticos. Portanto, caso esteja com algum mal-estar que suspeite ser algo mais sério, exagere na descrição dos sintomas e insista para ser melhor examinado – só assim haverá uma chance de o seu médico solicitar exames auxiliares para lhe diagnosticar. Pode soar como má-fé mas a experiência que muitos têm é de ir ao médico, descrever os sintomas em detalhes e voltar para casa tomando paracetamol – por isso, solte o seu lado dramático no consultório; costuma funcionar!
  • Consulte o site Lægevagten para informações sobre atendimento de emergência (médico e dentista), primeiros socorros e farmácias de plantão em toda a Dinamarca (somente em dinamarquês).

BrasileirasPeloMundo

By

Cristiane Leme

Cristiane é formada em Comércio Exterior e Marketing Internacional, é colunista da Dinamarca desde maio de 2013 e foi editora-geral do Brasileiras Pelo Mundo de janeiro de 2015 a setembro de 2016. Também é sommelière, consultora independente em importação e exportação e foi colunista do blog para expatriados Expat in Denmark, que fechou em julho de 2015. Mora com o marido e a filha na Jutlândia Ocidental.

PROPINA NO FUTEBOL RENDE BILHÕES À GLOBO

17 nov

247 – O suposto esquema de pagamento de propina feito pela Globo a dirigentes do futebol para conseguir direitos de transmissão de jogos se revelou um negócio de altíssimo lucro para o grupo de mídia da família Marinho. 
Conforme relata Bárbara Sacchitiello, em reportagem do portal Meio e Mensagem, só na temporada de 2018 de futebol, a Globo lançou pacotes comerciais aos patrocinadores que podem render receitas de R$ 2,460 bilhões. 
A emissora criou um pacote comercial para as transmissões nacionais e internacionais e outro exclusivamente para a Copa do Mundo da Rússia. O pacote de Futebol 2018 – que engloba o Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Copa Libertadores da América, Campeonatos Estaduais, Copa-Sulamericana e Amistosos da Seleção Brasileira – contém seis cotas de patrocínio, com valor de tabela de R$ 230 milhões cada. Têm prioridade os atuais patrocinadores do futebol da Globo: Banco Itaú, Ambev (Brahma), Chevrolet, Johnson & Johnson, Ricardo Eletro e Vivo. 
Já para a Copa da Rússia, o plano comercial da Globo também contempla seis cotas de patrocínio, com valor de tabela de R$ 180 milhões cada. 
Conforme delatou o empresário Alejandro Burzaco, a Globo é acusada de participar de um esquema de pagamento de propina de R$ 50 milhões para garantir direitos de exclusividade nas Copas do Mundo de 2026 e 2030.
Em seu depoimento, em que a Globo é citada 14 vezes, Burzaco detalha propinas pagas a José Maria Marin e Marco Polo del Nero, o ex e o atual presidente da CBF. Só na Copa América de 2015, o equivalente a R$ 10 milhões teria sido pago à dupla e a Ricardo Teixeira, que os antecedeu no cargo.

JUSTIÇA DE NY MOSTRA O CAMINHO DA PROPINA DA GLOBO

17 nov

247 – Nas reportagens que tem feito sobre o escândalo Fifa, em que é acusada de participar de um esquema de propinas de R$ 50 milhões para garantir direitos de exclusividade nas Copas do Mundo de 2026 e 2030, e também em torneios sul-americanos, a Globo tem afirmado que o delator Alejandro Burzaco, da empresa Torneos y Competencias, não esclareceu como a propina teria chegado às mãos do cartola argentino Julio Grondona, já falecido, que negociava os direitos de transmissão.
Nada mais falso. A ata do depoimento de Burzaco em seu segundo dia de depoimento, ocorrido nesta quarta-feira 15, foi obtida pela reportagem do 247 e mostra com clareza como dinheiro saiu do caixa da Globo e parou nas contas de Grondona. “Os direitos foram transmitidos à Teleglobo no Brasil. Para isso, a T&T Netherlands recolheria da Teleglobo e usaria parte dos fundos da T&T Netherlands para pagar subornos”, disse Burzaco. Ele afirma ainda que os direitos de transmissão foram negociados abaixo do valor real de mercado, justamente para que houvesse espaço para propinas.
Em seu depoimento, em que a Globo é citada 14 vezes, ele também detalha propinas pagas a José Maria Marin e Marco Polo del Nero, o ex e o atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol. Só na Copa América de 2015, o equivalente a R$ 10 milhões teria sido pago à dupla e a Ricardo Teixeira, que os antecedeu no cargo. Marin é citado 32 vezes no documento desta quinta-feira 16 – Del Nero aparece em 41 citações.
Burzaco também afirma que a T&T Netherlands foi criada na Holanda justamente com o propósito de pagar propinas.

O silêncio suspeito do MPF diante do caso Globo

16 nov

Por Tereza Cruvinel ( Brasil247)

Ao longo da Operação Lava Jato, tornou-se evidente a existência de uma aliança entre o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a mídia, que fez a sua parte com uma cobertura espetaculosa, desprezando a presunção da inocência dos investigados e executando a divulgação seletiva das delações premiadas vazadas por procuradores ou delegados federais. Os veículos do grupo Globo foram parceiros especiais desta aliança, comparecendo com suas equipes na hora exata para documentar prisões e conduções coercitivas. Até agora, o Ministério Público Federal fez silêncio absoluto sobre as revelações do empresário argentino Alejandro Burzaco a uma corte de Justiça de Nova York, apontando a TV Globo como um dos veículos que teriam pago propina para garantir exclusividade na compra de direitos de transmissão dos jogos da Copa Libertadores da América e da Copa Sulamericana de Futebol. Passado o feriado desta quarta-feira, a persistência do silêncio do Ministério Público sobre o assunto será suspeita, fortalecendo a percepção de que sua vigilância também é seletiva.
A TV Globo – que recentemente reestruturou toda a área de esportes, entregando seu comando a Roberto Marinho Neto, filho de José Roberto Marinho, negou as acusações, alegou a realização de sindicância interna que não encontrou irregularidades e colocou-se à disposição da justiça americana. Como todas as pessoas físicas e jurídicas, faz jus à presunção da inocência mas, agora, a situação exige que o assunto seja examinado também pelas autoridades nacionais. A situação complicou-se nesta quarta-feira com novo depoimento de Buzarco afirmando que a Globo participou de um esquema de propinas da ordem de US$ 15 milhões, o equivalente a R$ 50 milhões, para garantir a exclusividade nas transmissões das Copas de 2026 e 2030. Forneceu detalhes sobre a operação, que teria envolvido depósitos numa conta na Suíça em favor de um ex-dirigente da Fifa, Julio Grondona, já falecido. A empresa de Buzarco teria sido intermediária do pagamento, segundo informação do site Buzzfeed, que tem feito a cobertura mais aguerrida do escândalo no futebol global, investigado pela justiça americana. Delatores mentem ou podem mentir, em busca de proteção judicial, não podendo suas delações ser tomadas como base para condenação. Mas aqui no Brasil, especialmente em relação a alvos do PT, a mídia em bloco, Globo incluída, sempre tomou as delações como base para condenações midiáticas antes do proferimento de sentença.
Outro elemento fundamental para o êxito da Lava Jato foi a cooperação internacional com autoridades judiciárias estrangeiras de combate à corrupção. Tanto o juiz Sergio Moro como o ex-procurador-geral Rodrigo Janot estabeleceram uma sólida aliança com juízes e procuradores dos Estados Unidos. Se o Ministério Público resolver demonstrar seu interesse pelo assunto, pode começar pedindo a cooperação da Justiça americana neste caso. No tribunal do Brooklyn, em Nova York, terá seguimento nos próximos dias o julgamento da acusação de procuradores americanos, que acusam dirigentes mundiais de futebol de terem recebido R$ 500 milhões em propinas nas últimas décadas. Os procuradores brasileiros certamente vêm acompanhando o assunto. O que os silencia é o desconforto de ter que investigar um parceiro nacional tão estratégico, observando o devido processo legal, embora não o tenham feito em relação a muitos investigados da Lava Jato.

A Lava  Jato é o Macartismo brasileiro.Por Fernando Horta 

14 nov

*Do Fernando Horta*

É preciso que paremos se assemelhar a Lava a Jato com a Operação Mani Pulite, na Itália. A Lava a Jato é o Macartismo brasileiro.

Nos anos 50, o senador norte-americano por Wisconsin, Joseph McCarthy, dava forma a um movimento muito maior chamado “Red Scare” (Medo vermelho). Muita gente acha que Macartismo e o “Medo Vermelho” são a mesma coisa, e não são. Apesar de Wisconsin ser um estado do norte dos EUA (na região dos Grandes Lagos) e não do Sul (normalmente visto como mais agrário e conservador), McCarthy se elegeu com a maioria dos votos de agricultores e operários conservadores já tomados pelo “Medo Vermelho”, que vinha sendo propalado desde a Crise de 1929 e o New Deal de Roosevelt.

O Macartismo é, portanto, o resultado de uma intensa campanha contra os direitos sociais e qualquer forma contrária ao capitalismo mais selvagem. E todas as acusações de “paternalismo”, “ajudar vagabundos”, “ser comunista” foram lançadas originalmente contra Roosevelt e seu plano de recuperação da economia norte-americana. Entre 1945 e 1950, os EUA viram a URSS vencerem a guerra contra os nazistas, a China fazer sua revolução comunista (1949), a URSS explodir a sua primeira bomba nuclear (1949) e as Coréias entrarem em guerra, com vantagem decisiva para o norte comunista.

Assim, no prazo de cinco anos, o número de pessoas que viviam sobre regimes comunistas saltou de pouco mais de 150 milhões em 1945 para mais de 850 milhões em 1950. O comunismo parecia imparável e o desespero norte-americano se fez sentir. Daí surge o bordão “Reds, Pinks and Lavanders” com o qual McCarthy (e inúmeros outros políticos como o governador de Nova Iorque na época Thomas Dewey) ganhou imenso poder político. Segundo o senador, era preciso livrar os EUA da ameaça vermelha (os comunistas), dos rosas (social democratas ou qualquer outro pensamento assemelhado à terceira via europeia) e os roxos (homossexuais). Desde o início a temática de unir os comunistas e os “depravados moralmente” esteve na gênese da propaganda macarthista.

McCarthy criou comitês de investigação comunista nos EUA e começou sua escalada ao poder anunciando que tinha uma lista de 57 nomes de altos funcionários do Estado e que eram ou comunistas ou informantes. Nesta lista estava até o nome do Secretário de Estado norte-americano Dean Acheson, que havia, junto com Roosevelt e depois Truman, participado de toda a orquestração internacional do final da guerra. 

A estratégia do senador McCarthy consistia em acusar sem provas, usar a televisão e os canais de mídia da época para criar um clima de terror e apresentar-se como salvador moral do país. As televisões viam em McCarthy uma forma barata de conseguir audiência. Seus “interrogatórios” eram como shows de auditório, embora com muito mais audiência. Exatamente como é a Lava a Jato hoje. As televisões precisavam gastar milhões de reais com programas de baixo nível (como Big Brother, A fazenda e assemelhados) para conseguir menos audiência do que os shows da vara de Curitiba proporcionam, de graça.

Depois de criar o apoio midiático (bom para o senador e para a mídia), os “processos” se mostravam frágeis e sem nenhuma comprovação. O Macartismo criou a “culpa por associação”, exatamente como a Lava a Jato. Se o senador conseguisse mostrar, por qualquer meio esdrúxulo como uma jararaca picando uma cachorra, que o “réu” estava ligado – de alguma forma – a um núcleo comunista, não havia mais a necessidade de qualquer outra comprovação. O massacre midiático fazia com que o acusado perdesse o emprego e fosse agredido e aviltado. O que impressiona é que a Suprema Corte norte americana apoiou o Macartismo julgando os “Reds, Pinks and Lavanders” como não merecedores da segurança da primeira emenda da constituição (que fala da liberdade de expressão, de pensamento e religiosa). Em vários casos a Suprema Corte avalizou processos criminais e prisões contra professores, enfermeiros, artistas e etc. por cima da constituição. Exatamente como a Lava a Jato.

As gritantes injustiças e inconstitucionalidades tomaram eco pelo país todo, afinal se a Suprema Corte e o Senado podiam agir daquela forma, então, com muito mais violência, agiam os cidadãos e tribunais regionais. Pessoas passaram a ser perseguidas, agredidas em público, suas casas atacadas, filhos e família escorraçados apenas pela “delação” feita por algum desafeto. Bastava que houvesse uma “denúncia anônima” (como as que o MPF usa) para que a vida do denunciado estivesse acabada.

O ataque era violento contra professores (como o Escola sem Partido). Chandler Davis, professor de Matemática da Universidade de Michigan, foi um dos acusados. Levado “coercitivamente” a prestar depoimento, permaneceu em silêncio invocando a quinta emenda (a que constitui garantias contra o abuso de autoridade do Estado e permite o silêncio em qualquer interrogatório). Em 1960, três anos após a morte de McCarthy, a Suprema Corte americana mantinha ainda preso Davis porque entendeu que o silêncio seria comprovação de culpa. Exatamente como fazem juízes da lava a jato e outros hoje no Brasil.

Em 1954, a professora primária Anne Hale, diante do absurdo das acusações, decidiu não se declarar culpada (que era vista como uma forma de diminuir o sofrimento dos acusados injustamente) e disse: “Eu acho que será menor o prejuízo para meus alunos me verem defendendo aquilo que eu acredito ser verdadeiro do que me ver fugindo ou me escondendo”. Ela foi demitida de seu emprego na cidade de Wayland, nunca mais conseguiu qualquer emprego nos EUA. Todas as acusações contra ela se mostraram falsas. Quando morreu, em 1968, Hale trabalhava como professora voluntária ensinando crianças com disfunções cerebrais e fazia faxinas para poder ter o que comer.

Nenhuma acusação macarthista foi provada. Nem nunca precisou ser. Quando na falta de provas criava-se a “culpa por associação”, difamava-se política e socialmente usando a “perversão sexual e moral”  como forma de demonstrar a “depravação” que ameaçava os EUA. Exatamente como temos visto na Lava a Jato e nos movimentos que au apoiam. Todos com forte linguagem messiânica, baseados numa moralidade heterossexual branca e machista, violentos, agressivos e totalmente ignorantes. De Frota a Moro, passando por Dallagnol, Magno Malta ao silêncio do STF (acovardado) o roteiro é o mesmo do que ocorreu nos EUA. Inclusive com os mesmos trejeitos, linguagens, abusos e tudo mais exatamente igual.

McCarthy acusou de serem espiões comunistas Charles Chaplin, Orson Welles, Leonard Bernstein, Dean Acheson e até mesmo Robert Oppenheimer que havia sido o cientista chefe do projeto Manhattan, que criou a bomba atômica para os EUA. Em seguida, McCarthy lançou-se contra as forças armadas, denunciando o comunismo dentro do exército e foi necessário que o herói de guerra, general e presidente Eisenhower entrasse em disputa direta com o doidivano senador para que membros das FAs não fossem submetidos aos métodos da Lava a Jato. Perdão, aos métodos do Macartismo.

Milhares de pessoas agredidas, presas e com suas vidas destruídas. Duas mortes. Um país inteiro paranoico e voltado para o seu umbigo. Um antintelectualismo grosseiro e messiânico. O fortalecimento de políticos conservadores e religiosos espalhafatosos. O domínio dos Republicanos no Congresso. E nenhuma prova. Nenhuma prova. Ilações, relações, suposições, histórias estapafúrdias e o acovardamento inconstitucional da Suprema Corte. Este foi o caminho dos EUA, e está sendo o nosso, de forma assustadoramente idêntica.

Brasilino um Brasileiro.Por Rubem Gonzales

10 nov

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

BRASILINO, UM BRASILEIRO.
Era uma vez um cara feliz, bem empregado, ganhava bem, tinha uma vida tranquila.seu nome era Brasilino Camisaldo Amarelino, um sujeito definitivamente de bem com a vida e um contrate com a vida apertada que levava há uns 13 anos atrás.
Porém existia algo que incomodava o Brasilino demais pois ele se formou na FUDEU ( faculdades unidas da esquina ) em ciências ocultas e letras apagadas e não se conformava com pedreiros, mecânicos, e trabalhadores ainda mais elementares tendo benefícios iguais aos seus.


Pior ainda para Brasilino eram os do andar mais embaixo ainda, gentinha vagabunda sustentado pelo governo, pelos seus impostos, gente preguiçosa que deveria trabalhar, ele simplesmente não aguentava mais olhar para a cara dessa gente e muito menos desse governo que carregava essa turma nas nossas costas.


Brasilino não aguentou mais tanta injustiça, Brasilino tomou uma atitude afinal isso já tinha passado dos limites e aí Brasilino bateu panela , desfilou fantasiado de canaralho, Brasilino fez até vigília para defender o Pato da FIESP, afinal aonde esses comunistas vagabundos pensam que vão fazer com o nosso amado país?


Ahhhh, mas ele foi recompensado pois a exatos 15 dias finalmente Brasilino conseguiu o que queria, derrubou esse governo comunista e vermelho e agora finalmente ele vai ser reconhecido pelo seu talento tão desprezado, finalmente ele não vai ter que dividir mais nenhuma conquista sua com ninguém, o país finalmente voltou a ser dele.


Hoje Brasilino passado a emoção inicial está se sentindo mal, se sentindo usado, se sentindo um otário. É que ele sempre se achou de pau pequeno, sempre teve preconceito disso e o seu primeiro pedido ao novo governo foi que o seu pau a partir daquele dia arrastasse no chão e o governo do Temer disse que iria resolver isso imediatamente.


Hoje o pau de Brasilino realmente arrasta no chão, o governo cumpriu a sua parte da promessa. mas como todo o golpe Brasilino não leu nas entrelinhas o contrato e o governo para cumprir o prometido ao invés de aumentar o seu pau até ele arrastar no chão, optou por amputar as suas pernas.


Agora acorda para a vida Brasilino e vai curtir a sua nova vida de pirocudo e aleijado porque o resto você nem imagina como vai ser……..

%d blogueiros gostam disto: